Perspectivas para o mercado imobiliário em 2019

O próximo ano deve ser o ano da retomada do mercado imobiliário no Brasil. Recentes levantamentos do setor indicam um viés de alta nos últimos meses de 2018. A esperança é que a nova equipe econômica do Governo Federal consiga ajustar as contas públicas, gerar mais empregos, melhorar a renda do trabalhador e manter a tendência de queda dos juros aplicados nos financiamentos de imóveis. O mercado imobiliário possui um ciclo composto por quatro fases: expansão, excesso, recessão e recuperação. Após a crise que assolou o mercado imobiliário no começo desta década, entramos na fase da recuperação no segundo semestre de 2017. Desde então, o setor passou a demonstrar melhoras gradativas e substanc

Déficit Habitacional Começa a Diminuir no País

Os brasileiros estão morando melhor. Desde maio de 2016 foram entregues 1,25 milhão de unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida (MCMV). Sendo que um terço desse total foi destinado a famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil (faixa 1). Para isso, foram investidos R$ 135,3 bilhões em todo o território nacional. Parte dessas novas moradias – cerca de 66 mil unidades – vieram de obras que estavam paradas e foram retomadas nos últimos anos. Em novembro último, a Caixa Econômica Federal informou também que seu Conselho Curador aprovou uma suplementação de R$ 500 milhões de recursos não onerosos, ou subsidiados, do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para o programa Min

Bairro nobre puxa locação comercial

A retomada do mercado de imóveis corporativos começa a ser percebida nos bairros nobres de São Paulo. Hoje, a taxa de vacância dos escritórios nesses endereços já se aproxima do nível anterior à crise e está bem mais difícil achar um espaço nessas regiões que no restante da cidade – onde a lenta recuperação da economia é mais sentida. Nas regiões nobres da capital paulista, a taxa de imóveis vagos de alto padrão caiu da casa dos 26%, há um ano, para 17,9% – abaixo de bairros menos valorizados, em que a desocupação continua acima dos 27%, segundo pesquisa da consultoria JLL. As áreas nobres para o mercado comercial incluem regiões como as avenidas Faria Lima e Juscelino Kubitschek – com um gr

Cresce o número de lançamentos e vendas de imóveis residenciais em Jundiaí

O setor imobiliário de Jundiaí está em ritmo de recuperação. Segundo estudo divulgado pelo Sindicato de Habitação (Secovi-SP), realizado no período entre dezembro de 2017 e novembro de 2018, foram lançadas 750 unidades na cidade, volume 53% maior do que no período anterior, quando os lançamentos totalizaram 489 residências. No mesmo intervalo de tempo, 1.080 imóveis novos foram comercializados no município. O resultado representa um aumento de 29% em relação às 837 residências vendidas e contabilizadas no levantamento anterior. O levantamento, desenvolvido por Robert Michel Zarif, em parceria com o Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação, iniciou os estudos em dezemb

Mercado imobiliário está a caminho da recuperação

Um novo horizonte se avizinha para o mercado imobiliário da região de Rio Preto e também do País, com perspectivas bem mais otimistas depois de anos de uma intensa crise que estagnou o setor. Para 2019, especialistas e representantes do segmento preveem uma retomada da atividade, ainda que seja a passos mais lentos do que o boom vivido há alguns anos. As razões para a expectativa positiva começam pelo novo governo, que assume a gestão do País oficialmente a partir de janeiro, mas já provoca uma maior sensação de confiança e entusiasmo entre empresários e consumidores, atores principais para fazer mover a roda da economia. A discussão, já no Senado, do projeto de lei que determina multa de 50

De olho no fim de ano, setor imobiliário prevê avanço de até 10% nos lançamentos

Com o fim das eleições e a redução das incertezas, o mercado de imóveis residenciais deve entrar em um novo ciclo a partir do ano que vem. Em São Paulo, o número de novas unidades, até outubro, já havia superado o ano passado, e os lançamentos devem encerrar 2018 com alta de 5% a 10%, segundo analistas. “Há sinais de um fim de ciclo para o setor e o crescimento mais expressivo do País no ano que vem, acompanhado de uma maior organização das contas públicas, deve favorecer a compra de imóveis”, avalia o executivo Carlos Terepins, da incorporadora Nortis, de São Paulo. “Algumas regiões, como a fronteira agrícola e São Paulo, devem se recuperar mais rápido.” Nos dez primeiros meses do ano, fora

Posts Recentes

 Av. Giovanni Gronchi 6195, 05724-003 conjunto 1912 São Paulo/SP 

  • LinkedIn Social Icon

© Copyrigh reserved  2018