Três fatores que influenciam no valor de um imóvel

Dois apartamentos com características semelhantes em um mesmo condomínio podem ter valores diferentes. O piso, a mobília e o estado de conservação influenciam no preço final de um imóvel. Mas não basta que o local seja aconchegante e acolhedor, uma pessoa que procura um novo lar busca praticidade, segurança e boa localização. O coordenador do Índice FipeZap Eduardo Zylberstajn diz que o preço de um apartamento em uma mesma rua pode variar em até 50%. Uma boa localização ajuda a valorizar o imóvel, levando em conta a necessidade do cliente. “Um casal sem filhos vai optar por um bairro mais boêmio. Quando há crianças a prioridade é a região com escolas e hospitais”, explica. Danilo Igliori,

Caixa deve investir R$ 93 bilhões em crédito imobiliário ainda em 2016

A Caixa Econômica Federal pretende investir R$ 54 bilhões no segundo semestre e fechar este ano com investimento total de R$ 93 bilhões, sendo R$ 16 bilhões para habitação de mercado e R$ 38 bilhões para habitação social. Para atingir esse objetivo o banco promoveu ajustes na política de crédito imobiliário nos últimos meses e relançou o Plano Empresário (PEC) que proporciona condições especiais para o setor da construção civil. As mudanças para reaquecer o setor também estão voltadas para os clientes pessoa física. Entre elas estão o aumento da cota de financiamento, de 70% para 80% nos imóveis novos, e de 60% para 70% em caso de imóveis usados no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). “

Preço mais baixo dos apartamentos estimula expansão na Vila Andrade

A Vila Andrade, localizada entre Morumbi e Panamby, tem recebido ex-moradores de outros bairros da zona sul interessados na boa infraestrutura da região a preços mais baixos que os praticados pelos vizinhos do outro lado da marginal Pinheiros, como o Brooklin. Esse movimento é um dos responsáveis pela projeção de que o distrito de Vila Andrade terá o maior crescimento populacional de São Paulo até 2040. A estimativa da prefeitura paulistana aponta que o número de habitantes passará de 172.062 para 550.514 em 24 anos, uma alta de 220%. O síndico profissional Rogério de Morais, 40, mudou-se da casa dos pais, no Jardim São Luís, para um apartamento de três dormitórios e 83 m² na Vila Andrade. "

Preços de imóveis comerciais seguem em queda, diz FipeZap

O Índice FipeZap Comercial registrou nova queda nos preços do mercado de imóveis comerciais em agosto. Segundo dados divulgados hoje pela entidade, nos últimos 12 meses, os preços de venda e de locação caíram, respectivamente, 3,25% e 10,77%. Na comparação com o mês de julho de 2016, os preços de venda caíram em média 0,49% e os de locação recuaram 1,01%. O indicador, que acompanha o preço de venda e locação de salas e conjuntos comerciais de até 200 metros quadrados, mostrou também que, se considerarmos a inflação medida pelo IPCA de 8,97% no período, a queda real de preços atinge 18,12% nos alugueis e 11,22% nas vendas. O índice acompanha os preços nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro,

Caixa volta a ter crédito mais barato para financiar imóvel

Após um período de suspensão por conta da escassez de recursos, a linha de financiamento de imóveis pró-cotista, a mais barata do mercado para imóveis com valor maior do que 225 mil reais, voltou a ser oferecida a clientes pela Caixa. De acordo com informações do próprio banco, após o anúncio do conselho curador do FGTS de que a linha teria recursos adicionais de 3,6 bilhões de reais, sendo 1,7 bilhão para financiamento de imóveis de 225 mil reais a 500 mil reais, o crédito está disponível para os clientes desde o dia 16 de agosto. Em tempos de juros altos, a pró-cotista é uma das linhas mais acessíveis do mercado ao cobrar taxas que variam de 7,85% a 8,85% ao ano, dependendo do relacionamen

Venda de imóveis usados cresce em São Paulo

As vendas de imóveis usados cresceram 3,69% em julho em relação a junho, na cidade de São Paulo, segundo pesquisa feita com 332 imobiliárias pelo Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Creci-SP). Com esse resultado, as vendas na capital acumulam crescimento de 47,37% desde janeiro. No mercado de locação residencial, o número de casas e apartamentos alugados em julho também foi maior, 5,48% a mais que o de junho, e o saldo acumulado em sete meses está positivo em 20,66%. Os dois mercados registram semelhança também nos preços, de venda e de locação. O preço médio do metro quadrado dos imóveis usados aumentou 5,89% em julho na comparação com junho. Já o valor médi

Banco criado por BB e Bradesco lança cartão para concorrer com Nubank

O banco CBSS, uma nova instituição financeira controlada indiretamente por Banco do Brasil e Bradesco, colocou no ar sem fazer alarde um sistema digital para venda e gestão de cartão de crédito. Batizada de Digio, a plataforma lembra a proposta do Nubank, uma startup brasileira que oferece cartão de crédito sem anuidade e com gestão no aplicativo. O banco já recebeu 100 mil pedidos de cartão de crédito e emitiu cerca de 20 mil plásticos, apurou o jornal O Estado de S. Paulo com uma fonte próxima à companhia. O banco CBSS é mais uma empresa criada em conjunto por Banco do Brasil e Bradesco por meio da holding Elo Participações (Elopar). A holding também é dona da Alelo, de benefícios, da comp

Mercado imobiliário promete melhora no 2º semestre

O primeiro semestre deste ano foi marcado pelo grande recuo de empresas que adiaram seus lançamentos, uma vez que o consumidor estava muito inseguro para comprar um imóvel diante da crise financeira e política do país. Com os preços congelados e até mesmo em queda, quem tinha dinheiro no bolso pôde fazer bons negócios e conseguir descontos de até 40% e imóveis novos. Danilo Igliori, professor do Departamento de Economia da USP e chairman do DataZAP, diz que o setor imobiliário foi um dos que mais sofreu desde o final de 2014. Segundo o economista, muitos foram os fatores que influenciaram negativamente. “A taxa de juros subiu, tivemos altos índices de desemprego e as expectativas se deteri

SP vai subsidiar R$ 300 mi em lotes para baixa renda

O governo do Estado de São Paulo anunciou nesta segunda-feira, 29, um pacote de medidas para estimular o mercado imobiliário. A principal iniciativa é a criação de um programa habitacional que destinará subsídios de R$ 300 milhões originados no orçamento estadual para a compra de 12 mil lotes para famílias com renda de até cinco salários mínimos. A partir de quarta-feira, as empresas loteadoras terão três meses para apresentar ao governo as propostas de empreendimentos imobiliários, que serão avaliadas para fazer parte do programa. Os lotes devem atender padrões previamente estabelecidos, como área mínima de 125 metros quadrados e localização em uma região já urbanizada, isto é, atendida por

Comprovação de Renda - Financiamento

Em princípio, toda pessoa que comprovar um ganho constante, uma renda, alta ou baixa, estará habilitada a receber um financiamento imobiliário. Existem diversas ofertas de financiamento imobiliário, com a possibilidade para o futuro mutuário escolher nos bancos e instituições financeiras os planos e taxas que mais se adequa à sua capacidade econômica. Abaixo ilustramos os principais tipos de documentos para comprovação de renda, solicitados pelos bancos e agentes financeiros, entretanto na análise de crédito, poderão ser solicitados documentos complementares:

Preço médio do m² de apartamentos fica estável no Brasil

O preço médio do metro quadrado de apartamentos anunciados em 20 cidades brasileiras ficou estável em junho na comparação mensal, segundo levantamento FipeZap divulgado nesta terça-feira. Considerando o resultado em relação a junho de 2015, o índice apresentou oscilação negativa de 0,02 por cento, no menor resultado da série histórica, iniciada em 2011. No semestre, houve oscilação positiva de 0,03 por cento. "Tendo em vista que a inflação esperada para o período (em 12 meses pelo IPCA) é de 8,88 por cento, o preço médio anunciado do metro quadrado apresentou queda real de 8,17 por cento (...) Todas as cidades que compõem o índice FipeZap registraram variação inferior à inflação esperada nos

Condomínio: veja como reduzir gastos e os valores pagos pelos moradores

Por conta do alto índice de desemprego, o corte de gastos é um assunto que vem ganhando cada vez mais relevância. Por conta disso quem mora em condomínio quer cada vez mais ter menos despesas e, por isso, os síndicos precisam buscar alternativas para diminuir os gastos. “A crise que o país vive tem 'apertado o bolso' dos condôminos. É essencial estudar corte de gastos como mão de obra, água, energia e materiais de consumo. Só reduzindo custos com mão de obra, por exemplo, as contas podem diminuir em até 40% por mês”, destaca Dostoiévscki Vieira, presidente do Instituto Pró-Síndico. É bom ressaltar que quando ocorre a redução de gastos, a probabilidade de surgirem inadimplências diminuem,

Posts Recentes

 Av. Giovanni Gronchi 6195, 05724-003 conjunto 1912 São Paulo/SP 

  • LinkedIn Social Icon

© Copyrigh reserved  2018